notícias

O que saber sobre controle de pragas

01/09/2020

O que saber sobre controle de pragas

Ter um Controle de Pragas eficiente nas propriedades rurais é fundamental para manter a higiene do local, as pessoas e os animais saudáveis, e consequentemente fornecer produtos de qualidade e seguros aos consumidores.

As granjas são locais altamente susceptíveis à presença de pragas devido à grande quantidade de alimento e água disponíveis, ao fácil acesso, além de diversas opções de abrigo para o desenvolvimento e a reprodução de diversas espécies. O Controle de Pragas deve iniciar pelos procedimentos de boas práticas implantados e cumpridos, visando prevenir ou minimizar a presença, a atração, o acesso, o abrigo e a proliferação de insetos e roedores. Por isso é importante garantir que os quatro principais fatores que propiciam a proliferação de pragas urbanas, conhecidos como os “4 As”, estejam cobertos pelas medidas preventivas:

ACESSO: Devemos procurar possíveis pontos por onde as pragas podem entrar. Frestas em portas, paredes, janelas e cercas, espaços sob telhas e demais pontos devem ser analisados.

ÁGUA: Como qualquer ser vivo, as pragas não podem resistir sem água. Algumas são bastante resistentes e ficam um bom tempo sem água, porém a falta dela é fator determinante no controle de pragas.

ALIMENTO: Assim como água, pragas precisam de alimento. Manter o local sempre limpo, sem desperdício de alimentos é fundamental para efetivo controle.

ABRIGO: Elimine locais onde as pragas possam se abrigar. Objetos entulhados, armários abertos e outros servem de abrigo e facilitam a continuação de infestação de pragas.

___

Medidas preventivas

• Manter a área externa limpa: sem entulhos, mato e grama devidamente aparados, poda de galhos de árvores que se projetem sobre a construção;

• Eliminar ou proteger as fontes de água: fossos, valas, poças estagnadas, poços, caixas d`água e outros reservatórios;

• Armazenar de forma adequada e protegida: cereais, alimentos, rações;

• Acondicionar o lixo em recipientes à prova de pragas ou de difícil acesso;

• Manter adequadas as instalações hidráulicas e de esgoto.

• Vedar rachaduras e brechas nos muros, paredes e pisos;

• Proteger vãos sob as portas ou janelas, com telas ou chapas galvanizadas;

• Proteger as fiações que chegam às instalações;

• Inspecionar periodicamente e cuidadosamente caixas de papelão, caixotes, atrás de armários, gavetas e todo tipo de material que adentre ao ambiente e possa servir de transporte ou abrigo às pragas;

• Desalojar das estruturas (beirais de telhados, forros e acesso a calhas) os ninhos de pássaros;

• Seguir orientações técnicas sobre os procedimentos de compostagem.

___

Para o controle efetivo de pragas é fundamental aliar as medidas preventivas ao controle químico. Para isso, é importante seguir as recomendações da equipe técnica da Copagril sobre o Programa de Controle de Pragas. Também, atentar-se à distribuição das porta iscas, monitoramento e substituição de iscas.

Para lhe auxiliar a conhecer um pouco mais sobre pragas, descrevemos algumas informações complementares:

- Baratas

Possuem hábitos alimentares bastante variados, preferindo aqueles ricos em amido, açúcar ou gordurosos. Podem alimentar-se também de celulose como papéis, ou ainda excrementos, sangue, insetos mortos, resíduos de lixo ou esgoto. Tem o hábito de regurgitar um pouco do alimento parcialmente digerido e depositar fezes, ao mesmo tempo em que se alimentam. Preferem locais quentes e úmidos.

Quando as baratas entram em contato com alimentos e utensílios domésticos colocam em risco a saúde, já que circulam em ambientes propícios ao desenvolvimento de doenças. As principais doenças transmitidas pela barata são: febre tifóide, salmonela, gastroenterite, alergias, pneumonia, conjuntivite, dermatite e verminoses.

- Moscas

Existe uma grande diversidade de espécies de moscas.

Elas se alimentam de fezes, escarros, secreções, produtos animais e vegetais em decomposição e açúcar, entre outros. A mosca não consegue ingerir nada sólido, somente matéria na forma líquida; por isso, lança sua saliva sobre o alimento para poder digeri-lo e, posteriormente, ingeri-lo.

As moscas são insetos que tem importância como vetores mecânicos, isto é, podem veicular agentes patogênicos em suas patas após pousarem em superfícies contaminadas com estes germes e, posteriormente, pousarem nos alimentos, disseminando-os amplamente. Podem, dessa forma, transmitir várias doenças, tais como distúrbios gastrointestinais.

- Roedores

Sua presença em uma criação de animais confinados pode servir como indicador de falha na biosseguridade da propriedade. Os ratos constituem uma importante fonte de infecção para seres humanos e animais, podendo transmitir, como exemplo: Salmonelose.

É preciso ficar atento. Um lote inteiro de aves ou suínos pode ser contaminado pela presença de um único roedor infectado – o que representa um risco para o resto da cadeia.

Ratos mortos vistos durante o dia podem sugerir uma infestação relativamente alta ou epidemia entre eles. E, se observados vivos, pode ser indicativo de superpopulação.

Atenção: o uso inadequado de produtos químicos pode ser ineficaz, ou seja, não servir para eliminar as pragas, além de apresentar o risco de intoxicação.


*Matéria divulgada na Revista Copagril Edição 116 (maio/junho). Você pode conferir o conteúdo original em: https://www.copagril.com.br/revista/86.

**Conteúdo produzido com a colaboração da área de Gestão da Qualidade e Segurança dos Alimentos da Copagril.

Fotos:


Outras Notícias:


Sede Administrativa
Rua Nove de Agosto, 700
Marechal Cândido Rondon - PR
CEP: 85960-000

Fone: (45) 3284-7500 -
Redes Sociais
SAC
Copyright® Copagril - Todos os direitos reservados - Política de Privacidade Produzido por BRSIS