notícias

Culturas de inverno para proteção do solo e a ciclagem dos nutrientes

08/05/2020

Culturas de inverno para proteção do solo e a ciclagem dos nutrientes
Foto: Luiz Henrique Magnante / Embrapa

Com a proximidade dos períodos mais frios do ano, também se aproxima a época da semeadura das culturas de inverno, as quais são muito importantes para a rotação e que têm por finalidade a proteção do solo e a ciclagem dos nutrientes.

Deixar uma área em pousio, não é a melhor opção para o agricultor. O engenheiro agrônomo da Unidade Copagril de Quatro Pontes, Marcio André Ruediger, ressalta que a esse tipo de “economia” traz consigo uma série de problemas, como exemplo: dificuldade no manejo de plantas daninhas pré-plantio da cultura de verão e aumento do banco de sementes no solo dificultando manejo nas culturas sucessoras. “Deixar a área em pousio, pode ser substituída por boas práticas agrícolas como a utilização de plantas de cobertura verde a chamada adubação verde que além de beneficiar o desenvolvimento da cultura seguinte facilita o manejo de plantas daninhas e de realizar ciclagem de nutrientes em beneficio a próxima cultura”, reforça o profissional.

Produtores que optarem por não cultivar nenhuma cultura com fins econômicos no período de inverno, recomenda-se que seja implantada uma cultura com a finalidade de produção de palhada para a proteção do solo. Para isto pode ser utilizado culturas como a aveia preta, nabo, ervilhaca, entre outros, ou ainda utilizar uma mistura de sementes.

Implantação da cultura

“Primeiramente, para a implantação da cultura, o produtor deverá fazer o correto manejo das plantas daninhas para posterior semeadura. A dessecação deve ser realizada de 20 a 50 dias antes do plantio, conforme a cultura, estágio de desenvolvimento e as condições climáticas. Desta forma se recomenda até duas aplicações. A primeira com aproximadamente 30 dias antes do plantio, o que evita a presença de massa verde, e a segunda logo antes da semeadura, para o controle do primeiro fluxo de plantas daninhas após a dessecação inicial”, descreve.

Para a implantação da cultura deve-se dar importância a escolha de sementes de boa qualidade. Não é recomendável o uso de sementes que não tenham certificação, pois elas não possuem garantias de padrões de qualidade, como: pureza física, germinação, vigor e sanidade.

O próximo passo será a semeadura. “Nesta etapa deve-se atentar para a época de semeadura, regulagem correta na distribuição das sementes e a população adequada para cada espécie a ser implantada. É necessário verificar também as condições climáticas, para que se possa ter umidade suficiente para estabelecimento e desenvolvimento adequado da cultura, e também para se ter uma boa distribuição e correta cobertura das sementes”, explica o engenheiro.

O agricultor dispõe de várias ferramentas e tecnologias para auxiliá-lo no campo e o sucesso de sua lavoura também depende, em grande parte, da atenção, monitoramento e cuidados em cada fase do plantio. A adoção de boas práticas agronômicas conhecendo o ambiente poderá resultar no sucesso da atividade.

A Copagril disponibiliza ao agricultor sementes certificadas de boa qualidade e uma equipe agronômica preparada para dar o suporte necessário em cada etapa do cultivo.

Outras Notícias:


Sede Administrativa
Rua Nove de Agosto, 700
Marechal Cândido Rondon - PR
CEP: 85960-000

Fone: (45) 3284-7500 -
Redes Sociais
SAC
Copyright® Copagril - Todos os direitos reservados - Política de Privacidade Produzido por BRSIS